Bailarina potiguar, Rozeane Oliveira, volta a cena com espetáculo (EU)Fêmea

A bailarina potiguar, Rozeane Oliveira, volta a cena com seu espetáculo autoral aclamado, intitulado (EU)Fêmea nesta sexta (22) às 19 horas no youtube.  O solo foi indicado ao Troféu Cultura como melhor espetáculo e melhor bailarina no ano de 2017.

Pensado estruturalmente, coreograficamente e cenicamente pela autora e intérprete Rozeane Oliveira no ano de 2016, (EU)Fêmea evidencia questões relacionadas à realidade de mulher preta. 

Rozeane Oliveira explica que o processo de construção do solo partiu de inquietações profissionais que a fizeram questionar que mulher havia dentro dela. “Desde 2015 que eu vinha com uma imensa vontade de criar um trabalho solo, porém eu trabalhava em uma Cia de dança que naquela época tinha uma direção muito verticalizada, hierárquica, onde o bailarino não tinha autonomia de criar suas próprias obras, ou fazer trabalhos paralelos… Quando maturei a ideia de criar um trabalho meu tive muitos problemas para ensaiar, como, o próprio espaço ( sala de aula) era me negado, busquei apoio de outro espaço, mas também me foi negado, para que não houvesse indisposição entre os mesmo. Essas questões me motivaram ainda mais a criar o solo e a me questionar dentro dessa estrutura em que eu estava inserida. Comecei a minha pesquisa com o questionamento: “qual a mulher que há em vc”? A partir daí me vieram vários insights, onde fiz uma imersão em mim mesma. Foi um processo doloroso e instigante para minha compreensão do EU enquanto mulher, mulher preta, mãe e artista independente, então, comei a investigar qual a mulher existente em mim, qual a artista que eu era e qual queria ser, comecei a transpor para meu corpo tudo o que eu não aceitaria mais, tudo que me foi imposto dentro do meu processo de vivência até então, daí surgiu solo Eu(FÊMEA), solo de (re)existência criado com muita persistência e resistência dentro do meu quarto”, explica.

A exibição do espetáculo neste formato virtual tem um significado importante para a bailarina. “A exibição do solo Eu( FÊMEA) me vem como um ponto de acesso ao processo que vivenciei durante esses anos enquanto artista independente, me impulsiona a me questionar novamente, trás o frescor da essência do ser Eu(FÊMEA), pois o ser mulher 2016 passou por um processo de mutação, a Eu( FÊMEA) de 2021 e a mulher que há em mim hoje tem outros propósitos e dimensão. Espero levar para quem assistir toda a força e potência do ser mulher, mulher preta que se enaltece e fortalece não só a se mesma, mas as outras manas que estão em seus processos de entendimento, ou, de resgate de sua própria identidade. Eu(FÊMEA) traz o  entendimento mais profundo da mulher enquanto corpo macro de força e potência! É nós por nós!”.

Este projeto foi contemplado pela Lei Emergencial Aldir Blanc, pela Prefeitura Municipal do Natal, Funcarte e Governo Federal.

Sobre Rozeane Oliveira

Rozeane Oliveira uma das fundadoras do Coletivo CIDA desenvolve atividades artísticas há mais de 17 anos na cidade do Natal/RN, entre elas, oficinas, espetáculos teatrais, preparação corporal, criação em dança contemporânea, além de outras. Integrou o Grupo Parafólclorico (projeto de extensão) da UFRN, onde no ano de 2006 participou do Feiap – Santa Cruz Do Sul/Rs. Entre os anos de 2008 e 2016 faz parte do corpo artístico da companhia Gira Dança atuando como pesquisadora e intérprete/criadora. Em 2015, faz circulação pelo Palco Giratório em 45 cidades do Brasil, com o espetáculo “Proibido Elefantes”. Na mesma companhia foi contemplada com: Circulação Nordeste 2013 (Proibido Elefantes) – Lei Câmara Cascudo De Incentivo À Cultura (patrocínio: COSERN – Grupo NeoEnergia); Prêmio de “Melhor Espetáculo De Dança” em 2012 (Proibido Elefantes) – Troféu Cultura; Prêmio Funarte Petrobrás Klauss Vianna De Dança 2012 – circulação de “Proibido Elefantes”; Circulação Gira Dança 2013 – Lei De Incentivo À Cultura Câmara Cascudo. Colaboradora da Sociedade Cênica Trans na montagem do espetáculo “Tratados de Mim Mesma na Infertilidade” que conta com o apoio do programa Rumos Itaú Cultural. Já no ano de 2017, participa do “Sarau Insurgências Poéticas”, evento que acontece semanalmente e reúne poesia, artes visuais, dança, música e economia criativa na cidade do Natal/RN. 

FICHA TÉCNICA  

Concepção e coreografia: Rozeane Oliveira

Direção artística: Rozeane Oliveira

Colaboradores: Álvaro Dantas, Daniel Silva, Thiago Medeiros e René Loui.

Trilha sonora: Estúdios Megafone

Fotografia: Brunno Martins

Produção executiva: Raquel Lucena

Assistente de produção: Arthur Moura

Iluminação: David Costa

Realização: CIDA – Coletivo Independente Dependente de Artistas

Previous ArticleNext Article
Cecília Oliveira
Cecília Oliveira é Comunicadora Criativa e Produtora Cultural, atua comunicando projetos artísticos na cidade do Natal há dez anos. É gorda power, a mil por hora, apaixonada por glitter, cachorros e fotografia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *