Rio Grande do Norte adia a reabertura econômica

O decreto que estipula as medidas mais rígidas de isolamento social para o Rio Grande do Norte foi prorrogado até o dia 24. O intuito era começar a flexibilização no dia 17, para que os comércios voltassem a ser abertos.

Porém, o estado não atingiu a meta para que a mudança ocorresse. De acordo com o decreto, era necessário que a taxa de transmissão do contágio tivesse diminuído e que os leitos de UTI tivessem ocupação menor de 70%.

De acordo com o Comitê Científico da Sesap/RN¹, desde maio, boa parte da população descumpriu as medidas de isolamento. Diversos serviços não essenciais foram reabertos, houve filas em bancos e muitas pessoas nas ruas. Isso fez com que o estado saísse de uma situação equilibrada e acelerasse o número de casos.

Para evitar o agravamento da circulação do vírus, o governo pretende vigiar e controlar mais de perto quem descumpre as medidas. Assim, se todos cooperarem, a reabertura ocorrerá ainda este mês.

Como é a proposta de reabertura?

O plano de reabertura do Rio Grande do Norte prevê quatro fases. A primeira será para as atividades que geram pouca aglomeração, se encontram em situação econômica mais crítica e podem seguir as medidas sanitárias.

Depois de 15 dias, o governo pode liberar que restaurantes, lanchonetes e similares voltem a funcionar. Os shoppings centers, academias e parques estão na previstos na terceira fase que começará 10 dias após a segunda.

Os cinemas, casas de shows e a indústria do entretenimento serão os últimos a abrirem, 10 dias depois das atividades da fase 3. A proposta foi apresentada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern).

O que esperar daqui para frente?

Mais dia ou menos dia, o comércio do Rio Grande do Norte reabrirá. Porém, ao que tudo indica, a normalidade daqui por diante será diferente – ao menos no começo. Para fazer uma simples compra no supermercado, por exemplo, é bem provável que as pessoas continuem adotando medidas de proteção, como evitar aproximação excessiva e usar álcool em gel.

Fazer a lista do que irá adquirir e buscar na internet é um hábito que também se popularizou com a quarentena. Mesmo depois que for possível ficar bastante tempo longe de casa, muitos continuarão consultando as ofertas online do Supermercado Extra, que possui uma rede de 80 lojas em 12 estados², Carrefour, Lojas Americanas e tantos outros antes das compras. Afinal, o consumidor aprendeu que assim ele consegue saber onde está mais barato, em vez de ir a mais de uma loja.

Sobre os eventos culturais, a expectativa é grande para que sejam retomados. Museus, casas de shows, teatros e cinemas perderam muito com o isolamento, mas, principalmente, o próprio público. Então, assim que as atividades forem retomadas, é bem provável esses espaços tenha uma alta demanda, ainda mais se forem reabertos com uma capacidade menor para evitar a aglomeração.

Embora as lives tenham conquistado milhares de pessoas, uma pesquisa revelou que elas podem não sobreviver por muito tempo – não da forma que os artistas desejam pelo menos. De acordo com levantamento da ACI Worldwide, 62% dos entrevistados não pagaria para assistir a uma apresentação desse tipo.

Então, pode até ser que os músicos lancem lives para se aproximar do público e divulgar alguma música especial. Porém, quando os shows voltarem a acontecer, a plateia digital voltará a ser off-line.

A expectativa é grande para que o Rio Grande do Norte volte a ser como era antes: um lugar repleto de encontros de todos os tipos!

Fontes:

1: http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/comita-aprovou-plano-de-retomada/481743

2: https://www.kimbino.com.br/extra/

Imagem https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Natal_Rio_Grande_do_Norte_Brasil.jpg 

Previous ArticleNext Article
Redação
Um novo jeito de blog :)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *