Documentário potiguar sobre mulheres no Kung Fu estreia online

O Pequena Flor de Ameixa é um projeto de documentário idealizado por Camila Guerra, inspirado em usa vivência enquanto mulher no Kung Fu e nas mulheres com quem aprendeu muita coisa no tatame. O projeto teve desenvolvimento na Especialização em Produção de Documentários, da UFRN, e, em Janeiro de 2020, originou seu primeiro curta com uma das artistas marciais potiguares da pesquisa: Isadora Guilherme. O projeto tem intenção de explorar a potência incrível do corpo feminino no estilo Choy Lay Fut de Kung Fu e no boxe chinês (Sanda). As artistas marciais do projeto são mulheres de diferentes corpos, limitações físicas, orientações sexuais, idades, processos de empoderamento, essências e realidades, e são as grandes inspirações que têm o poder de convidar outras mulheres a quebrar com o tabu de que o lugar de mulher não é na luta. Se há um lugar em que a mulher está diariamente presente, é na luta – seja qual for.

“Pequena flor de ameixa: um fragmento” (2020) é, como o nome diz, um fragmento desse projeto de documentário. Em 14min, o filme acompanha reflexões da artista marcial Isadora, que, entre cólicas, dores, inseguranças e machismos no tatame, compartilha seu processo de empoderamento pessoal, em seus árduos treinos rumo à faixa preta.
Saiba mais sobre o documentário no insta: @_pequenaflordeameixadoc
O filme vai estrear no Projeto Ocupação Ovárias, organizado por mulheres para mulheres, dia 6 às 18h, no site do festival aqui. Acontecerá nos dias 4, 5 e 6 de Setembro, de forma online e gratuita! Além de audiovisual, há outras segmentos artísticos.
E daqui do RN, há mais 2 filmes: Bálsamo, de Pam Dutra; e “Planta Carne”, de Julia Donati.
Previous ArticleNext Article
Alana Cascudo
Publicitária formada pela UFRN e pós-graduada em MBA Gestão da Comunicação em Mídias Sociais pela ESPM. Cinéfila, notívaga, apaixonada por viagens, gastronomia e assuntos relacionados. Sofrendo constantemente de insatisfação crônica, intolerante à lactose e totalmente desequilibrada.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *