Como explicar a expressão “galado” para os seus amigos não natalenses

Há pouco mais de um ano atrás escrevi um texto explicando a expressão “boy” para todos os não natalenses. E quase instantaneamente fui desafiada por vários leitores a elaborar uma continuação, agora esclarecendo o significado de “galado”.

Armaria, na hora eu não aceitei o desafio, mas agora, criei vergonha na cara e vai rolar uma aulinha de aplicação e semântica deste termo tão emblemático, GALADO!

Vamos começar pela sua origem. Durante a Segunda Guerra Mundial, Parnamirim foi ponto estratégico para uma base militar dos Estados Unidos, consequentemente muitos americanos passaram a residir em Natal, trazendo consigo muitos dos seus costumes. Um deles, era usar traje de gala para frequentar festas e bailes da cidade. Como vocês podem imaginar, só eles se vestiam de tal maneira, causando um estranhamento e comentários na população local, ou seja, em nós potiguares, os quais começaram a chamá-los de “galados” de uma maneira pejorativa (ou diria, na zoeira).

Hoje em dia esta maravilhosa gíria é aplicada em diversas situações, recebendo significados diferentes dependendo do contexto inserido. Pode ser adjetivo e substantivo, e ainda, dar origem a outros termos advindos de “galado”.

Utilizações do termo galado:

Primeira: adjetivo para qualificar uma pessoa gente boa, legal, amigo.

Segunda: dependendo do contexto, este adjetivo também pode adquirir uma atribuição negativa, como sinônimo de pessoa sem caráter, safada, abusada, sem noção (ou apenas escrota mesmo). Aplicação em uma frase, ou melhor em uma música, como já diria o Mc Priguissa: “Esse homi é um galado, é melhor não falar nada. Sua postura tá errada” (vocês podem conferir a música completa no final deste post).

Terceira: substantivo muito utilizado como tratamento informal entre grupos de amigos, usado comumente como saudação. Exemplificação: “E aí, galado? Tudo bem?”.

Quarta: ainda existe, para complicar sua cabeça, a derivação do termo galado, dando origem a expressões como: galadagem e galadice. Estes são usados como sinônimo de confusão, treta e frescura. Aplicação em uma frase: “Esse boy está cheio de galadice”.

Previous ArticleNext Article
Alana Cascudo
Publicitária formada pela UFRN e pós-graduada em MBA Gestão da Comunicação em Mídias Sociais pela ESPM. Cinéfila, notívaga, apaixonada por viagens, gastronomia e assuntos relacionados. Sofrendo constantemente de insatisfação crônica, intolerante à lactose e totalmente desequilibrada.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *