Em sua próxima passagem por Natal, o prefeito de São Paulo João Dória vai receber o título de cidadão natalense. A cerimônia vai acontecer no dia 16 de agosto, no Teatro Riachuelo.

Ele vai receber o título junto com o empresário Flávio Rocha, principal executivo das Lojas Riachuelo e do Midway Mall.

Dória se junta ao “seleto” grupo de pessoas como o cantor Zezo, o técnico Geninho, o capitão Styvenson, dentre outros que já receberam a homenagem.

A proposta de dar o título à Dória partiu do vereador Raniere Barbosa (PDT), acusado pelo Ministério Público de corrupção por suspeita de desviar R$ 22 milhões em contratos de iluminação pública de Natal, na época em que era secretário municipal.

Um título de cidadania honorária deveria ser dado para pessoas que, de alguma forma, colaboram ativamente para o desenvolvimento social de uma determinada cidade.

O agraciado passa a ser conterrâneo dos moradores da cidade em que foi homenageado.

Na prática, isso significa que Dória passará a ser conterrâneo dos natalenses a partir do dia 16 de agosto. A pergunta que fica é a seguinte: o que ele fez para merecer a homenagem?

Paulistano de nascença, filho de pais baianos, Dória iniciou sua carreira no mercado de comunicação de São Paulo. Depois, teve cargos importantes em governos tucanos e chegou a ser presidente da Embratur durante o governo Sarney.

Dória fundou empresas de marketing e editoração para o mercado corporativo. E, no ano passado, foi eleito prefeito de São Paulo. Hoje trabalha para ser o candidato do PSDB à presidência do Brasil.

Ok, mas aonde está Natal ou o Rio Grande do Norte em sua biografia?

Respondo: em lugar nenhum. Não há nada que ele tenha feito em sua biografia que, de alguma forma, trouxesse um benefício social e econômico para a cidade ou o Estado.

Se brincar, Dória não deve nem saber ao certo a localização geográfica da cidade e nem os detalhes culturais que fazem o natalense. Ele deve achar que da Bahia para cima é tudo Paraíba, como o paulistano médio acredita que é.

Apesar disso, ainda sim, Dória será homenageado, em mais uma banalização que a Câmara Municipal faz com o título de cidadão natalense.

Mais do que banalização, aliás, é um claro uso político de um título público que deveria ser reservado a pessoas que efetivamente colaboram e amam a cidade. Ou aos muitos que veem de fora, adotam Natal como cidade e trabalham ativamente por ela.

Mas infelizmente não é assim.

Se há um motivo racional que explique a homenagem, este é um só: Dória é virtual candidato a presidente, com boas chances de levar o pleito em 2018.

O título, neste caso, serve como um ato político.

Ou, como eu prefiro enxergar, uma forma da classe política local de dobrar os joelhos e beijar a mão de alguém que, nos próximos anos, tem chances de estar no poder.

Uma clara forma de submissão da Câmara Municipal ao “estrangeiro poderoso” ou, para usar o bom português, uma “baba-ovice” pura e simples de alguém que nunca moveu uma palha pela cidade.

É lamentável que a Câmara Municipal se dê a este tipo de trabalho. Envergonha os natalenses e envegonha aqueles que trabalham efetivamente por Natal.