Peça inspirada em episódio de xenofobia contra nordestinos estreia sexta em Natal

Inspirada nas reações xenófobas contra nordestinos durante as eleições presidenciais de 2014, um grupo de dramaturgos potiguares adaptou o livro ““A Invenção do Nordeste e Outras Artes”, do professor de história da UFRN Durval Muniz de Albuquerque Junior para o teatro.

O resultado é a peça “A Invenção do Nordeste”, a mais nova produção do Grupo Carmin, responsável espetáculo “Jacy”, sucesso de crítica e público em todo o Brasil. Dirigida por Quitéria Kelly e adaptada ao teatro por Pablo Capistrano e Henrique Fontes, ela será encenada na Casa da Ribeira nesta semana.

A montagem vai acontecer na sexta-feira (15) às 20h e no sábado (16) em duas sessões: às 18h e às 20h. Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) e podem ser compradas na bilheteria do teatro, ou online por meio da plataforma do Sympla.

História da peça

A história é de um diretor contratado por uma grande produtora que tem como objetivo selecionar um ator nordestino para interpretar um personagem também nordestino. Depois dos testes, dois são pré selecionados e, a eles, é dado um tempo para que possam se adaptar ao personagem. E é neste tempo que eles refletem sobre a identidade nordestina.

O processo criativo do espetáculo tomou dois anos do grupo e começou com a atriz Quitéria Kelly e o contato que ela fez com professor Durval Muniz. O grupo, então, mergulhou em questionamentos históricos e estéticos para entender o que é o Nordeste, qual é a identidade que a região tem e se ela tem uma só ou várias dessas identidades.

A ficha técnica do espetáculo conta com direção de Quitéria Kelly, dramaturgia de Henrique Fontes e Pablo Capistrano. Elenco: Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros. Cenografia de Mathieu Duvignaud, Dramaturgia audiovisual e iluminação Pedro Fiuza; trilha original: Gabriel Souto e Toni Gregório. Produção: Mariana Hardi e Quitéria Kelly.

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *