Oficina quer fazer das escolas espaços mais inovadores

Uma das características mais legais da internet é a possibilidade de ter acesso a todo tipo de informação disponível no mundo. A consequências direta disso é que, em muitas áreas, é possível ser autodidata.

O que me questiono é: qual é o reflexo disso na educação de hoje? E como as inúmeras possibilidades que esse mundo digital abre para as escolas pode ser usado a favor da aprendizagem?

E a melhor (e mais perturbadora para os mais tradicionais): ainda faz sentido a divisão professor e aluno?

Enfim, essas perguntas são difíceis de se responder. Eu mesmo tenho as minhas apostas e os meus achismos sobre o tema. Um deles é que não faz sentido mais existir “professores”, detentores únicos do conhecimento, mas que deveriam existir mentores, ou guias de conhecimento.

O problema é que a estrutura da maioria das escolas segue a mesma desde o século passado. A fórmula professor, lousa, giz, e aluno permanece praticamente inalterada na época dos smartphones, da internet e de toda uma necessidade inovação que a sociedade precisa.

É dentro desse contexto que o educador e consultor de negócios José Anchieta teve uma ideia. Desenvolver, por meio da abordagem do design thinking, uma forma de ajudar educadores e profissionais de educação a inovar em sala de aula. Para isso, ele está organizando uma oficina gratuita chamada “CriaArção” que vai rolar neste sábado, das 9h às 12h, na Tat Wong Kung Fu Academy, Cidade Verde.

O design thinking, para quem não sabe, é uma abordagem que usa elementos como empatia, colaboração e experimentação para desenvolver estratégias originais e, assim, resolver problemas. Ainda é pouco usada no Brasil. Mas já é muito utilizada em empresas como a Apple e em universidades como a de Standford, nos Estados Unidos.

A abordagem é essencial para incentivar inovadores e, por fim, formar inovação. E por falar nisso, qual inovação você acha que seria bacana que as escolas adotassem?

Acho que a resposta disso passa pela escola “não matar a criatividade” (veja vídeo abaixo) e agir em conjunto com as possibilidades que mundo digital abre: desde jogos e aplicativos, até redes sociais.

A oficina CriArção tem 60 vagas. Quem quiser participar precisa se inscrever. Mais informações, no Facebook. A Tat Wong Cidade Verde fica na Av. Ayrton Sena, em frente ao colégio Salesiano.

Previous ArticleNext Article
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *