O que eu aprendi participando de uma edição da Campus Party?

A primeira vez que estive em uma Campus Party foi em 2013, na segunda edição que ocorreu no Nordeste. À época, eu já tinha ouvido falar sobre ela e cogitava participar, talvez até viajar a São Paulo para isso. Não precisei ir longe, já que aquele foi o segundo ano que Recife recebia o evento.

É difícil resumir em palavras como é a experiência de participar de uma Campus Party. Como o nome mesmo diz, é uma festa, em formato de acampamento, repleta de elementos que fazem parte cada vez mais do cotidiano de muita gente: a tecnologia e a inovação.

E olha que nem participei da forma mais recomendada. Não acampei. Fiquei em uma pousada próxima ao Centro de Convenções de Recife. Mas ia para lá de manhã e saía quando quase todo mundo estava dormindo. E o que eu vi foi um mundo de internet veloz, milhares de pessoas e palestras que marcaram para melhor a minha vida.

O que mais me impressionou foi a riqueza de conteúdo. Havia apresentações, oficinas, grupos de trabalho sobre praticamente todas as áreas que englobam a tecnologia, o empreendedorismo, o marketing digital e a inovação. O contato e a experiência com pessoas, de diferentes lugares, que estavam procurando meios de sair da caixinha. A riqueza foi incrível.

Campus Party Natal

É por essa experiência positiva que fiquei feliz em saber que a Campus Party estava chegando em Natal. Afinal, embora a cidade seja pequena e engatinha na área de tecnologia e inovação, há cada vez mais iniciativas e atores que tentam fortalecer esse aspecto localmente.

A edição daqui vai se caracterizar por algo bem específico: a questão aeroespacial. Haverá até o lançamento de foguete de treinamento básico durante o evento, a partir da base da Barreira do Inferno. E isso no mesmo momento em que a questão volta a tona com a SpaceX, a Falcon Heavy e a ideia de iniciar uma exploração à marte.

Outro aspecto cujo foco será forte na edição é a robótica. Entre palestras e grupos de trabalho sobre o tema, algo provavelmente vai chamar a atenção dos participantes: haverá uma corrida de baratas ciborgues. Robôs e inteligência artifical devem participar cada vez mais da nossa vida nos próximos anos e receber esse tipo de conteúdo na cidade é fundamental para o desenvolvimento dela.

Vai rolar ainda três hackatons durante o evento. Para quem não sabe, hackaton são maratonas que envolvem equipes multidisciplinares para criar soluções para problemas sociais. Na edição de Natal, eles serão para dar celeridade a processos judiciais e os outros dois para ajudar a analisar dados e propor soluções para a saúde e a educação pública do Rio Grande do Norte.

Sobre o evento

A Campus Party Natal vai ocorrer entre os dias 12 e 14 de abril no Centro de Convenções de Natal. A agenda completa com as palestras e ações que o evento vai receber está aqui. Os ingressos custam a partir de R$ 150 sem o camping e R$ 230 com o camping individual e podem ser adquiridos aqui.

 

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *