Macambira – Mostra de Cinema de Realizadoras começa amanhã em Natal

Atenção galera que curte cinema, começa amanhã a Macambira – Mostra de Cinema de Realizadoras na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A Mostra tem como objetivo dar visibilidade e promover o debate de filmes dirigidos por mulheres. O evento é gratuito, não-competitivo e segue até o dia 12 março.

A mostra recebeu 215 inscrições feitas de todo o Brasil, após uma curadoria foram selecionados na mostra 19 filmes nacionais e 12 potiguares, além do longa-metragem “Ilha”, dirigido por Glenda Nicácio e Ary Rosa, que foi convidado pela organização do evento. A curadoria dos filmes foi realizada por Rosy Nascimento, Anti Ribeiro e Renata Pyrrho.

Serão dois locais de exibição dos filmes, durante as tardes, a partir das 17h, no Auditório do Departamento de Educação Física, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e à noite, a partir das 19h, no Auditório do NEPSA I, no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), ambos dentro da UFRN. Após as exibições dos filmes, haverá um debate com convidadas e realizadoras.

Além da exibição dos filmes, haverá uma oficina de Afroficção, ministrada pela artista audiovisual sergipana, Anti Ribeiro, das 13h às 16h de 10 a 12 de março no Departamento de Comunicação Social da UFRN. O intuito da oficina é engatilhar processos artísticos que repensem o lugar da racialidade na construção ficcional.

Durante a mostra serão exibidos obras em formato de curta e longa-metragem, realizados por mulheres, com o propósito de promover um espaço de diálogo sobre feminismo e cinema, trazendo pautas urgentes como representatividade no cinema, considerando recortes de raça, classe, identidade de gênero e identidade sexual,  por exemplo.

A primeira edição da  Mostra Macambira é promovida pela Mulungu Audiovisual e Salobra Filmes e conta com o patrocínio do Fundo de Incentivo à Cultura – FIC 2018, lançado pela Prefeitura do Natal através da Fundação Cultural Capitania das Artes. O evento conta ainda com o apoio do Decom/UFRN, DEF/UFRN, CCSA e Cinemateca Potiguar.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

DIA 10/03 (TERÇA-FEIRA)

Tarde | 17h | Auditório do DEF (Departamento de Educação Física) – UFRN

17h | Sessão “Em Guerra” (Nacional)

  • Pátria (Lívia Costa e Sunny Maia | CE | 7’40” | Livre | 2020)
    Sinopse: Em uma fita VHS são narrados pensamentos sobre Pátria, nacionalismo e poder.
  • Nakua Pewerewerekae e Jawabelia (Até o Fim do Mundo) (Juma Gitirana Tapuya Marruá e Margarita Rodriguez Weweli-Lukana | PE/RJ | 15’50” | Livre | 2019)
    Sinopse: Vídeo experimental, realizado inteiramente com câmera de celular,  parte do projeto UNID@S CONTRA LA COLONIZACIÓN: MUCHOS OJOS, UN SOLO CORAZÓN, que mescla as linguagens do documentário e ficção além de três idiomas: sikuani, espanhol e português. Este vídeo foi uma tentativa ritual de sanação das dores coloniais, dessas feridas abertas que ainda nos doem a tod@s, humanos y não-humanos: naturezas de Abya Yala.
  • Seremos Ouvidas (Larissa Nepomuceno | PR | 12’55” | Livre | 2020)
    Sinopse: Como existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidade diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.
  • Clandestyna (Duca Caldeira | RJ | 22’ | 14 anos | 2019)
    Sinopse: Um dos projetos finais do LAB NEM, iniciativa que possibilita a participação de pessoas trans no audiovisual, CLANDESTYNA apresenta Dayo, Piranhafudida e Ducarallho. Três travestis pretas da Baixada Fluminense, que recorrem a arte para sobreviver ao país que mais mata transvestigeneres no mundo.

Noite | 19h | Auditório do NEPSA – UFRN

19h | Sessão “No Palco, Na Reza, Na Labuta” (Potiguar)

  • Dona Maria – A Mão Que Move a Cura Pela Folha (Babi Freire | RN | 10’25” | Livre | 2019) | ESTREIA
    Sinopse: A cura para toda dor. A morte que faz parte da vida. Quais os mistérios que envolvem a dedicação de uma mulher a vida e a morte do outro? A fé, a natureza e o verbo se unem para falar sobre cumprir uma missão através do amor gratuito. Receba o rezo que vai fazer transbordar seu coração, na imensidão da simplicidade do afeto. Pela voz e o movimento de quem aceitou caminhar o caminho.
  • Performance (Karina Moritzen | RN | 9’42” | Livre | 2017)
    Sinopse: Potyguara Bardo é uma drag queen compositora e cantora que tem conquistado o Brasil nos últimos anos. O filme “Performance” captado e lançado em 2017 acompanha José Aquilino e sua transição ao transformar-se em Potyguara, enquanto traz em segundo plano suas considerações sobre arte e o cenário artístico de Natal. “Performance” é hoje um registro bastante interessante para os crescentes fãs da talentosa cantora, assim como para todos aqueles que trabalham com arte e cultura em cidades afastadas do eixo Rio/São Paulo.
  • Labirinteiras (Renata Alves | RN | 7’ | Livre | 2019)
    Sinopse: Um grupo de mulheres do litoral potiguar luta para que a arte da tecelagem do labirinto não seja esquecida. Em meio a muitas adversidades elas tecem o fio de suas próprias histórias.
  • A Parteira (Catarina Doolan | RN | 20′ | Livre | 2019)
    Sinopse: Donana, parteira com mais de meio século de ofício, representa a resistência da tradição e humanização ao parto na região de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte. Dona de uma personalidade forte, compartilha de sua sabedoria, adquirida ao longo de anos como parteira, mãe, mãe de santo, madrinha, mulher. Assim como a chanana, flor que brota em meio ao concreto e é subestimada por sua frágil aparência, Donana nos ensina a permanecer firmes apesar das adversidades da vida.

20h25 | Sessão “Ninguém Me Tira Daqui” (Nacional)

  • Drummondiana(Yasmin Bidim | SP | 1’34” | Livre | 2019)
    Sinopse: Drummondiana é um videopoema: Não há nesse mundo / nada mais belo / que o próprio mundo / Tudo que vive lá fora / vive também aqui dentro
  • O Perigo Está Fora do Mar (Marcia Rezende | PE | 2min | Livre | 2019) | ESTREIA
    Sinopse: O curta-metragem experimental em stop-motion recria a pesca fora do mar. Aonde está o perigo?
  • Carne (Camila Kater | SP | 12’12” | N/A | 2019)
    Sinopse: Crua, Mal Passada, Ao Ponto, Passada e Bem Passada. Através de relatos íntimos e pessoais, cinco mulheres compartilham suas experiências em relação ao corpo desde a infância até a terceira idade.
  • Peixe (Yasmin Guimarães | MG | 16’56” | Livre | 2019)
    Sinopse: Marina é uma jovem mulher que trabalha em Belo Horizonte realizando entregas com a sua bicicleta.
  • Thinya (Lia Letícia | PE | 15′ | Livre | 2019)
    Sinopse: Minha primeira viagem ao Velho Mundo. Minha fantasia aventureira pós colonial. [Um discurso muda uma imagem?]

21h10 | Debate: O Cinema Não É Cis
Convidadas: Anti Ribeiro e Janaina Lima

Dia 11/03 (Quarta-feira)

Tarde | 17h | Auditório do DEF (Departamento de Educação Física) – UFRN
17h | Sessão “Abraço” (Nacional)

  • Angela (Marília Nogueira | MG | 14’37” | Livre | 2019)
    Sinopse: Angela vive sozinha e coleciona diagnósticos de doenças que nunca teve. Sua ficção segue impertubável até a chegada de Sueli e o vislumbre de uma nova existência.
  • À Beira do Planeta Mainha Soprou a Gente (Bruna Barros e Bruna Castro | BA | 13’18” | Livre | 2020) | ESTREIA
    Sinopse: Recortes de afeto entre duas sapatonas e suas mães.
  • Receita de Caranguejo (Issis Valenzuela | SP | 20’ | Livre | 2020) | ESTREIA
    Sinopse: Após a morte do pai, Lari e sua mãe vão passar alguns dias na praia. Elas resolvem cozinhar caranguejos. E os bichos, aos poucos, transformam-se em seres luminosos.
  • Sem Asas (Renata Martins | SP | 19’40” | Livre | 2019)
    Sinopse: Zu é um garoto negro de doze anos. Ele vai à mercearia comprar farinha de trigo para a sua mãe e, na volta pra casa, descobre que pode voar.

Noite | 19h | Auditório do NEPSA – UFRN
19h | Sessão “Tremor” (Potiguar)

  • Paralise (Julia Sena | RN | 3’46” | 14 anos | 2019)
    Sinopse: Esta animação documental reúne variados depoimentos de pessoas que tiveram experiências com a paralisia do sono.
  • Distorção (Paula Pardillos e Davi Revoredo | RN | 15’ | 12 anos | 2019)
    Sinopse: Os dias parecem calmos, mas não são, no apartamento de Socorro, que tem como principal companhia a sua TV.
  • Meu Colega de Quarto (Luiza Rose | RN | 11’ | Livre | 2018)
    Sinopse: Meu colega de quarto apresenta o cotidiano de um adulto e sua dificuldade de lidar com a rotina quando carrega-se consigo o peso de suas psicoses.
  • Antrum (Helena Sebatiana | RN | 15’51” | 12 anos | 2019) | ESTREIA
    Sinopse: Um homem e uma mulher confinados em um quarto são recebidos por uma voz enigmática que revela um apocalipse já ocorrido.

20h15 | Sessão “Malditas” (Nacional)

  • Noite Fria (Priscila Nascimento | PE | 12′ | 12 anos | 2020) | ESTREIA
    Sinopse: Entre o trabalho num call center, idas a um bar e notícias cotidianas, nada está fora do lugar no mundo de Marta. Entre uma monotonia e uma quebra da realidade, “Noite Fria” tenta falar da violência enquanto foge dela.
  • Fome (Manda Ramoos | GO | 18’ | 18 anos | 2019)
    Sinopse: Uma noite entre amigos em um pub se transforma numa brutal luta pela sobrevivência com a chegada de uma criatura demoníaca.
  • Onze Minutos (Hilda Lopes Ponte | BA | 17′ | Livre | 2018)
    Sinopse: No Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é violentada. Elisa precisa ir ao aeroporto. É noite e, no caminho, obstáculos vividos por quem é mulher.

21h05 | Debate: Quanto Vale o Cine Delas?
Convidadas: Babi Freire, Maryland Brito e Rebeca Souza

Dia 12/03 (Quinta-feira)

Tarde | 17h | Auditório do DEF (Departamento de Educação Física) – UFRN

17h | Sessão “A Voz Que Nos Mantêm” (Potiguar)

  • O Sopro Ligeiro do Tempo (Gessyka Santos | RN | 1’12” | Livre | 2020)
    Sinopse: O Sopro Ligeiro do Tempo é um curta realizado a partir de um Poema que nos leva a refletir sobre os momentos de ausência criativa, sobre a vida. Quando parece que falta inspiração e torna-se difícil dar forma a ideias e/ou sentimentos.
  • Cantador de Morte (Angela Pavan e Lisabete Coradini | RN | 9’56” | Livre | 2020) | ESTREIA
    Sinopse: São versos construídos na observação cotidiana e memória. Esses são os repentes de Francisco Robério da Cunha com nome artístico de Coroné Ananias desde 1991(Ceará Mirim/RN). O talento com repentes recebeu de sua mãe. Aqui faz uma homenagem a mãe e lembra os nomes, profissões e detalhes do acontecimento ocorrido na ponte de Igapó em Natal em 23/11/1982. Cantou através de versos a vida de muitas pessoas que já não estão entre nós. Nesse pequeno curta nomeou-se de cantador de mortes.
  • Rosa de Aroeira (Monica Mac Dowell | RN | 20’ | Livre | 2020) | ESTREIA
    Sinopse: O filme mostra, de maneira simples, autêntica e emocionante, a força das mulheres da pequena comunidade do Reduto, localizada em São Miguel do Gostoso/RN. Quatro mulheres contam suas histórias de vida por meio do relato de suas longas jornadas de trabalho. Seja no roçado, no trabalho coletivo na casa de farinha, no incansável e constante trabalho das rendeiras de labirinto, seja na busca por melhores condições de vida para seus filhos.
  • Casa com Parede (Dênia Cruz | RN | 16’ | Livre | 2020)
    Sinopse: Um assentamento urbano em remoção, após um incêndio que destruiu mais de 50% dos barracos. Mulheres, homens e crianças em mudança para tão sonhada moradia. Essa história é revelada de forma lúdica por uma criança de oito anos que viveu com sua mãe numa comunidade entre tábuas e lonas, mas que sonhava morar em uma casa com parede.

17h50 | Sessão “Distópica” (Nacional)

  • Pelano! (Chris Mariani e Calebe Lopes | BA | 12’45” | Livre | 2019)
    Sinopse: Um buraco na camada de ozônio se abre em cima da região nordeste do Brasil. Em meio a isso, Raquel está derretendo.
  • Ada (Rafaela Uchoa | BA | 20’ | 12 anos | 2019)
    Sinopse: No Brasil de 2030, Lia é uma jornalista e programadora que é convocada pelo grupo Ada. Formado por mulheres hackers, a organização luta para derrubar a Ditadura Evangelista.
  • A Felicidade Delas (Carol Rodrigues | SP | 14’ | 14 anos | 2019)
    Sinopse: Duas meninas fogem juntas da polícia depois de uma manifestação. Apesar da violência, buscam uma forma de viver o seu desejo.

Noite | 19h | Auditório do NEPSA – UFRN

19h | EXIBIÇÃO DE LONGA-METRAGEM CONVIDADO

  • Ilha (Glenda Nicácio e Ary Rosa | BA | 96′ | 16 anos | 2018)
    Sinopse: Emerson é um jovem da periferia que quer fazer um filme sobre sua história na Ilha, um lugar onde quem nasce não consegue sair. Para realizar seu plano ele sequestra o cineasta Henrique e juntos os dois reencenam sua vida, com algumas licenças poéticas. Porém, no jogo de fazer cinema não há limites.

20h30 | Debate: Pretagonismo nas Telas
Convidadas: Alessandra Augusta, Denise Carvalho e Stephanie Moreira

OFICINA

Oficina de Afroficção com Anti Ribeiro (SE)*
De 10 a 12/03, das 13h às 16h
Sala 10 do Departamento de Comunicação Social (DECOM/UFRN)
*Inscrições encerradas.

Previous ArticleNext Article
Cecília Oliveira
Cecília Oliveira é Comunicadora Criativa e Produtora Cultural, atua comunicando projetos artísticos na cidade do Natal há dez anos. É gorda power, a mil por hora, apaixonada por glitter, cachorros e fotografia.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *