Do Hard Rock ao Forró Ostentação, a História de Fredinho Bragança (Ou Freddy Frenzzy)

Freddy Frenzzy ou o agora Fredinho Bragança fez o impensável. Ex-vocalista da banda de hard rock Hottnytte, ele virou definitivamente a casaca e montou uma banda de forró chamado Bota Pressão.

A história saiu pela primeira vez no site O Inimigo, com uma entrevista fantástica com Freddy. Ela movimentou a cena rocker de Natal com críticas, comentários ácidos e até algumas manifestações positivas em prol dessa mudança da água para o vinho.

A repercussão da matéria teve como consequência direta a saída de Freddy dos vocais da banda Hottnyte.

Todo esse fuzuê ficou um período adormecido até o lançamento, nesta semana, do primeiro single do Bota Pressão. O clipe “Facebook Cat“.

Investindo no melhor (!?) que o forró tem a oferecer, a música traz os elementos de um ritmo muito odiado pelos rockeiros de plantão: os trocadilhos infames e os refrões repetitivos. Isso sem falar no caráter tosco do videoclipe. Mais cultura forrozeira, impossível.

Na entrevista ao O Inimigo, Freddy explica os seus motivos e traça até um paralelo entre o Hard Rock e o forró comercial.

E em muitos pontos ele tem razão. A motivação da mudança, segundo ele, tem um caráter comercial, como deixa claro neste trecho:

O melhor deles é que eles compõem um público que gasta em seu entretenimento, ao contrário do público roqueiro, que se amarra pra dar R$ 5,00 num show de bandas locais (…) O público do Forró gasta. Seja um show do Aviões do Forró ou de uma banda local, eles não se importam de dar R$ 20,00 ou mais pra entrar.

É verdade. Pelo menos em Natal, a viabilidade financeira de bandas de rock praticamente inexiste. E não é por falta de público, mas por uma cultura sem sentido criada de que se deve pagar pouco para ir um bom show. O que diminui (senão zera) o cachê de muitas bandas.

Essa mania ignora o simples fato de que o músico dedicou horas àquilo e que, capitalistas ou não, eles precisam garantir um retorno financeiro para seguirem trabalhando e melhorando o que fazem.

A lógica de mercado no forró, por exemplo, é oposta. Muita gente – até mesmo pessoas com poucas condições financeiras – paga muito para ver esses artistas. Isso cria um mercado mais sustentável financeiramente e uma profusão de bandas, shows, produtoras e toda uma economia que gira em função desse mercado.

Outro trecho interessante da entrevista, está na comparação que Freddy (ou Fredinho) faz da cultura do Hard Rock e da cultura do forró. Segue a citação do rapaz.

A filosofia é a mesma! Tanto o repertório do forró quanto o do Hard Rock são compostos de dezenas de músicas que falam de farra, bebida, mulher, ostentação de riqueza… e algumas outras românticas. É muito semelhante. Negar isso é pura hipocrisia.

A afirmação não deixa de ser um tapa na cara de alguns juvenis que sustentam uma suposta “superioridade moral” do rock em relação aos outros ritmos musicas.

Quem abriu portas para letras que falam de sexo, de drogas, de ostentação, foi exatamente o rock nos idos dos anos 70 e 80. Aliás, isso faz parte da cultura de uma série de vertentes rockeiras mundo a fora. Faz parte até mesmo do caráter socialmente questionador do ritmo.

E esse lado específico da farra, do sexo, da ostentação foi absorvida, querendo você ou não, pela cultura do Forró e do Axé.

A atitude do Freddy Frenzy é engraçada por ser rara este tipo de mudança e, por mais criticada que seja (oh, ele traiu o rock) você tem de admitir: ela faz sentido.

Hottynyte – Seven Sins

Bota Pressão – Facebook Cat

Previous ArticleNext Article
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

44 Comments

  1. Já toquei guitar também por 15 anos em bandas covers de rock e sou da mesma opinião. Qualquer boteco onde esteja rolando um pagode ou forro tem mais gente dançando e consumindo que o de rock. E claro que isso acaba por deixar a desejar na qualidade do evento. Nego não investe pq não tem retorno. Mas tamo junto, nem por isso vou deixar o Rock.

  2. Mudança da água pro vinho né?
    Só se for um vinho bem barato mesmo, vc é um preconceituoso de merda, e expressa sua opinião sem isenção, e ainda se chama de jornalista. Igual ao panaca do Manuel Bouzas que lá em cima fica defendendo, outro PNC.

    Rock não é nem nunca foi, em qualquer canto do mundo um estilo musical pra ganhar dinheiro, é antes de tudo atitude e estilo de vida, que cospe no chão, e na cara de toda essa babaquice e mesmice a qual vcs fazem o favor de viver.

    Com certeza o que vcs ouvem deve ir por outro caminho… mas vcs chamam de Rock pra tentar se convencer que estão fora dessa vidinha mediocre que levam, “Jornalista que odeia azeitona”.

  3. Eu entendo um pouco o lado dele, em partes.

    Não é fácil viver de Rock n Roll, não é uma arte para pessoas fracas e sim para verdadeiros guerreiros.

    Detalhes tem que ser ditos.

    Shows de Rock costumam ser beeeeeeeeem mais caros que os de forró.
    Qualquer ingresso pra ver minha banda Cover é R$20,00 enquanto que no Forró fica entre R$5,00 e R$15,00.

    Musicalmente o forró comparado ao Rock é nada, ainda mais esse tipo de forró, diferente de grandes nomes como Gonzagão e Alceu Valença esse tipo de forró é embasado em letras fúteis e melodias fracas, isso quando não acabam com ótimas músicas de Hard Rock.

    Nunca fui fã do som do Freddy no Hard Rock, é uma banda boa , com alguns bons elementos mas nada novo ou que realmente me prenda atenção.

    Rock Autoral no Brasil não é realmente valorizado.

    Existem alguns que lutam por isso, pela melhora disso, e outros apenas se vendem.

    Não posso dizer que ele está errado, eu não faria igual mas não o condeno por tentar algo novo, pode ser um degrau pro sucesso, e após isso quem sabe não relance a banda e volte ao Rock.

    Desejo toda sorte do mundo, apenas peço que não cuspa no prato que comeu, pois no futuro pode ser que você seja servido nele.

  4. O cara tem as contas dele para pagar e não tem que se preocupar com uns otarios que vem com esse papinho de “traidor do Rock n Roll”. Quem fala essa merda não tem a mesma atitude para levantar a bunda do sofá e ir ver uma banda de som autoral e as vezes que vai sair para escutar algo, vai ver uma banda cover zoada e fica pedindo para tocar Raul… Meus lamentos pela hipocrisia desse tipo de gente.

  5. "O novo público é diferente, claro. Escutam forró, sertanejo, pagode, swingueira. E alguns raros, ouvem rock. O melhor deles é que eles compõem um público que gasta em seu entretenimento, ao contrário do público roqueiro, que se amarra pra dar R$ 5,00 num show de bandas locais, embora que às vezes vendam a mãe pra ir chupar rola de banda gringa (risos histéricos). O público do Forró gasta. Seja um show do Aviões do Forró ou de uma banda local, eles não se importam de dar R$ 20,00 ou mais pra entrar. E curtem ao máximo sem ficar detonando ninguém. Isso que faz haver mercado. Tudo gira em torno do público."

  6. Não recrimino o cara porque isso tá quase acontecendo comigo e alguns amigos meus… tem hora que é foda ver que não vale nada se esforçar,pra ganhar NADA… forró,funk,sertanejo,essas porra tão muito em alta,pois o povo quer ver bunda,carro caro e grana no bolso ( só dos artistas,pq a cultura continua uma bosta ).

  7. Só ficaria melhor se o comentário incluísse a visão unilateral do autor sobre forró, considerando apenas as produções pós 90. Porque forró nasceu ontem e nasceu com Aviões do Forró.

  8. Isso já era de se esperar de um banda com influencia do Avenged Sevenfold. E só de olhar para o visualzinho dele de rockeirinho, já não convence! Só o tempo msm pra revelar os falsos e os verdadeiros músicos que carregam consigo a essência do Rock’n Roll!

  9. Obvio que banda de forró ganha mais dinheiro que hard rock, pelo menos no inicio, mas ainda nao acho que seja motivo pra sair do hard rock e ir pro forró.
    Até pq é mt diferente, são tecnicas diferentes, e se o cara acha que é um cantor pq canta hard rock e forró, eu digo que ele Não é cantor nem de forró, muito menos de rock. Acho que ele não é digno de ser um artista consagrado pelo simples fato de não fazer por amor, e sim por interesse.
    E outra, ele é tão ruim no forró quanto era no hard rock, então ele nao vai conseguir nada mesmo.

  10. Ta na cara q a intenção dele foi sempre ganhar dinheiro, cara, se a intencao eh essa, era pra ter montado uma banda sde forro desde o início. Nao tente ganhar grana com rock aqui em natal porque nao rola, as bandas que estao ai na atividade estão porque gostam se tocar rock, mesmo com todas as dificuldades! !!!

  11. Sinceramente, não tem muita diferença entre hard rock/heavy metal e forró, estilos ridículos e cheios de clichês. O melhor do rock certamente não tá nesses estilos.

  12. O problema maior é que as bandas de Rock brasileiras não sabem fazer rock, não sabem compor, e , querem fazer letras em inglês para um povo que não conhece nem o próprio idioma. Ainda estão fazendo trash metal, que é pior ainda, pois dá aos “ouvintes” a sensação de que rock é lixo, é barulho. Sinceramente, num país em que se ouve e gosta se de “eu quero tchum” e “lépo-lépo”, vai esperar o que ?

  13. Além de tudo, a letra da “música” (se é que se pode chamar isso de música) do BOTA PRE$$ÂO é extremamente ofensiva e ainda tem mulher que curte isso.

  14. Se o cara tem uma banda de Hard Rock e se empenha tanto em reconhecer os temas fracos do Hard Rock de bebida, farra e mulher, o hipócrita é ele por ser um músico e não vencer o que ele critica e colocar conteúdo na música que ele produz. Isso se chama: mente fraca, porque não estudei então se eu não tocar forró vou morrer de fome. Isso não é um roqueiro. u_u é um chupa rola

  15. Parabéns a esta pessoa. Assim nos livramos de "coisas" propagando o hard rock e levamos muito mais pessoas pro forró. Fico grato por você e por todas pessoas que seguirem este conceito; Que a cena do rock continue como é; e aos que pensam que isso é uma perda, por favor, façam como esse nosso camarada, destinem-se ao forró. Abraços.

  16. Me desculpe, mas não aguentei nem até o meio do Facebookcat. kkk
    Entendo sinceramente o ponto de vista dele. Mas prefiro ir fazer uma faculdade pra ganhar dinheiro, um novo projeto, filme pornô, foda-se. Mas "mudar de time" desse jeito. Poxa, mesmo que ele esteja cagando dinheiro, oq eu duvido, nao vale a pena. A parada é mto ruim. Inaudível. Desculpe minha franqueza.

  17. Hevelin Casagrande disse tudo, e nos shows de bandas pequenas, não se pode entrar com bebida, mas lá dentro a dose de vodka barata é 8 ou 10 reais, desse jeito ninguem curte mesmo não, afinal show bom tem que ter alcool tmbm.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *