É isso mesmo que você está lendo, chegou nas telonas de Natal um documentário sobre a utilização e legalização da cannabis medicinal. O nome do longa é “Ilegal” e está em cartaz no Cinépolis.

“Ilegal” conta a história da luta da Katiele Bortoli, mãe da pequena Anny, de 5 anos, que sofre de uma forma de epilepsia rara, grave e sem cura. A mãe, então, enfrentou a justiça para buscar uma tratamento para melhorar a qualidade de vida da sua filha por meio da substância canabidiol, extraída da Cannabis Sativa, princípio ativo da maconha.

Vejam a afirmação da Katiele que foi a primeira brasileira a ter autorização judicial para usar um produto da Cannabis:

“De onde a canabidiol é extraída? Se fosse no abacaxi, eu poderia utilizá-la. Infelizmente, é na planta Cannabis sativa, e ela é proibida no Brasil. Porém, quando eu vi a possibilidade de tratar Anny, fui atrás. Em dado momento, cheguei a traficar, sim, mas consegui dar mais qualidade de vida para a minha filha”.

A história que promete comover e mudar alguns paradigmas é contada pelo jornalista paulista Tarso Araújo, diretor do documentário, e realizado pela produtora paulistana 3Film em parceria com a revista Superinteressante.

E a iniciativa de uma mãe fez sim a diferença. O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (CREMESP) tomou a iniciativa de mudar a lei e regulamentar a prescrição do Canabidiol para tratamento de crianças, que como Anny, sofrem de epilepsia grave.

O longa está sendo exibido no Cinépolis de Natal, mas infelizmente em apenas uma sessão (na programação que permanece até quinta). Se você tiver a oportunidade de conferir, olhe só o horário:

Cinépolis Natal Shopping: 15h15

Para quem se interessou pelo documentário, fiquem com o trailer oficial: