Conheça o Projeto Ara o futuro do smartphone

Você já ouviu falar do Projeto Ara?

Desenvolvido pelo Google e baseado na ideia do Phoneblocks do designer holandês Dave Hakkens, o projeto está desenvolvendo telefones modulares onde o usuário pode trocar elementos específicos dele.

Se você quiser uma câmera nova, você não precisa comprar um telefone novo, mas um módulo com uma câmera melhor.  Ou se você quiser uma tela ou um hardware melhor, é preciso apenas trocar o módulo que se refere a eles e não ir numa loja em busca de um novo celular.

O objetivo é ter telefones que durem mais, o que pode gerar economia para o usuário, além da diminuição do lixo eletrônico jogado com o descarte de celulares antigos.

Segundo o Mashable, o tempo médio de troca de um smartphone é de 1 a 2 anos. O Projeto Ara quer aumentar esse prazo para cinco ou seis anos.

É tido hoje como o futuro do smartphone.

Nesta semana, acontece a primeira de uma série de conferências com programadores, organizada pelo Google, para apresentar alguns detalhes do telefone.

Ontem falaram a respeito das possibilidades de design que ele tem.

Na conferência, apresentaram a ideia do”Ara Configurator”. Nele, usuários poderão personalizar os módulos do telefone por meio de fotos e texturas que depois serão impressos no formato 3D e, posteriormente, encaixados no telefone.

Project-Ara-Colors

Podem ser usados fotos, desenhos, cores, de acordo com a preferência do usuário.

Com relação ao preço, o que vem sendo divulgado é que um telefone Ara básico, com previsão a ser lançado em janeiro do ano que vem, terá um valor médio de U$ 50 (algo em torno de R$ 120).

O vídeo abaixo mostra um pouco como é a ideia (tem legendas ocultas em português). É esperar para ver 🙂

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *