Canoa encontrada no interior do RN pode ter mais de 700 anos

Uma canoa encontrada em Extremoz depois da seca do ano passado pode ser o artefato náutico mais antigo do Brasil.

A história fé a seguinte: depois da seca, em janeiro de 2013, um morador encontrou três canoas antigas na lagoa de Extremoz. A descoberta chamou a atenção de pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco e mostras dessas canoas e mais uma outra, também achada na região, foram analisadas.

Depois da retirada de parte do material e análise de carbono 14, foi descoberto que uma das canoas possui cerca de 700 anos de vida. As outras duas possuem respectivamente 230 anos (canoa Extremoz 1), 210 anos (canoa Extremoz 2) e 280 anos (canoa Extremoz 3).

Foto: Lenilton Lima
Foto: Lenilton Lima

Pesquisadores acreditam que eram canoas indígenas, usadas aqui na região. Segundo pescadores locais, há pelo menos mais 12 canoas dessas na lagoa do município.

O tema fez parte da dissertação de mestrado em arqueologia de Hamilton Marcelo Morais da Universidade Federal de Pernambuco foi trazido para a imprensa natalense pelo fotógrafo e também pesquisador Lenilton Lima.

Agora vem a pior parte.

Levadas para a Fundação de Cultura Aldeia Guajiru, as canoas estão do lado de fora, sem nenhum cuidado, tomando vento, sol e chuva e se deteriorando.

Segundo o jornal Tribuna do Norte, há um projeto para construir uma área para elas serem abrigadas, mas enquanto isso não é construído, elas ficam sob a ação do tempo e correm o risco de se perder.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *