Você tá vivendo no modo automático? Você anda tão atropelado pela rotina que não pára pra prestar atenção aos pequenos prazeres da vida? Você vive comparando sua vida com a dos outros e, pasmem!, a do outro tem ficado em vantagem? Você se sente inseguro e tem vergonha de mostrar seu brilho para o mundo?

Se você se identificou com pelo menos uma dessas perguntas, vem comigo que vou te dar 5 boas razões para você começar a se enxergar e a enxergar a sua vida de outra forma!

1) Comparações não te ajudam!

Se eu pudesse escrever esse artigo com um único conselho seria:

– Não se compare, não se compare, não se compare!

E isso tá sendo cada vez mais difícil nesse mundo de informações fartas e ligeiras. Passamos a ter acesso a vida dos outros de forma instantânea e quase sempre saímos perdemos nesse jogo da vida virtual.

A humanidade parece ser a única espécie que nunca parece satisfeita com a sua própria vida. Você já pensou se os animais também fossem assim? Mas ainda bem que eles são mais espertos, eles somente vivem a vida assim como ela acontece. Nós não, ficamos julgando e interpretando tudo ao nosso redor.

As pessoas tendem a gastar a maior parte de sua vida em uma ilusão de que ninguém jamais conseguiu atingir, do que vivendo sua vida de verdade.

Ou vai me dizer que você não passa boa parte do seu dia futucando a vida alheia nas redes sociais?

O problema é que isso traz uma sensação de falhas e de dor. Você nunca é suficiente:

Não sou tão bom quanto ele! Ele/a é muito mais capaz do que eu! Olhe o corpo dela! Queria ter esse guarda-roupa! Que relacionamento perfeito! Por que não tenho relacionamentos assim?

E vejo muita gente condenada por essa ilusão. Sentindo que falharam ou que estão falhando no jogo da vida. Em vez disso, você pode estar satisfeito pelo fato de ter chegado aonde chegou, por mais que o lugar que você está hoje não é o lugar onde você gostaria de estar, mas ele faz parte da sua trajetória, da sua evolução e importante mesmo é você saber o que você quer construir de hoje em diante, aonde você quer chegar, deixando de lado essa ideia boba de ta comparando a sua grama com a do vizinho, a dele pode tá até mais verdinha mas também pode ter mais agrotóxico, e aí?!

2) Saiba que todo mundo já fez merda!

E essa é uma verdade universal! E olhe que sou campeã mundial nessa arte de fazer merda, sendo que em um determinado ponto da minha vida (e não faz tanto tempo assim) tomei a decisão de não me culpar mais pelas “cagadas” do passado e desde então parece que tirei uma saca de cimento das minhas costas.

A tal da culpa não serve pra nada, absolutamente nada na vida. O que serve de verdade é você encarar os erros, falhas e fracassos do passado como oportunidade de aprendizado. Mas o que é que a gente faz?! Que, que? Foca no que é ruim, só enxerga a parte que deu errado e sério gente, onde a gente foca expande e se você focar nisso, terá mais disso.

E vou te contar um segredo: Não vai chegar um dia em que você estará imune de cagadas e que terá atingido a perfeição! Bem, nunca ouvi falar de ninguém que tenha chegado até aí. Você conhece?!

Para que você seja autêntico e consiga viver uma vida rica em todos os sentidos você precisa viver no aqui e agora. Todos sabemos que não podemos mudar o passado, contudo muitos de nós estabelecemos um acampamento lá na esperança de tentar resolver algo. Só que a vida está acontecendo agora! Por isso escolhe focar em tudo que você fez, faz ou pode começar a fazer de bom.

3) Pare agora de mentir pra si mesmo

1. Você faz promessas para si mesmo que você não mantém? (Eu estou começando em uma dieta)

2. Você faz promessas a outros que você não mantém? (Eu chegarei na hora/ Ligarei amanhã!.)

3. Você diz aos outros o que eles querem ouvir em vez do que eles precisam ouvir por medo de repercussões?

4. Você não sabe/não consegue dizer ‘Não?

E esse também é um item com o qual me identifico bastante, porque por muito tempo vivi para agradar os outros e me sabotando o tempo inteiro mentindo para mim mesma, até que cheguei em um momento onde me sentia completamente perdida de mim.

Até hoje luto contra isso, porque foi parte da minha educação e essa é inclusive uma característica muito comum a nós mulheres, que fomos criadas para “servir”, por questões bem culturais as quais não vou me aprofundar agora.

Sendo que fazendo isso, nós mentimos sem pensar, porque é isso que estamos condicionados a fazer. E nós diminuímos a importância delas chamando-as de “mentirinhas”. Só que uma mentira é uma mentira, e sua mente reage a ela da mesma forma.

Sendo que a medida que você começa a viver de forma autêntica, você deve dar prioridade a sua honestidade. Por quê? Como você pode ser honesto com outra pessoa se você não é honesto consigo mesmo? E ser honesto consigo mesmo é uma ótima forma de começar a ser sua melhor versão.

4) Você pode se libertar dos rótulos

Vivemos na cultura da padronização, onde a gente é criado e educado para virar mercadoria de produção em série. Se você não segue o script social da “vida perfeita” você está fora e esse é a razão para  muitas pessoas sofrerem por não se sentirem enquadradas.

Você não tem idade pra se vestir assim! Você come demais! Você está fora de peso! Tá grávida e não casou? Tá namorando? Já casou? Essa profissão não dá dinheiro! Isso é coisa de homem! Isso é coisa de mulherzinha! Qual sua preferência sexual? Seu visual é estranho! Nunseiquezinho é casado tem 03 filhos logo ele é um homem bom! Rico não vai para o céu! Aquela mulher é rodada! Pra ser bem-sucedido tem que fazer faculdade x,y ou z! Você devia se inspirar em Classildo que fez mestrado ou em Edenildes que tá fazendo doutorado em Ciências de alguma coisa! Mulher tem que casar e ter filhos! Ficou pra titia! Você precisa passar num concurso pra ter estabilidade, etc, etc, etc

Pra quem ou pra que cara pálida?!

Sei que falar é fácil e que na prática não é tão simples assim, pois vivemos uma vida inteira com nossas arestas sendo aparadas pra ficar mais fácil da gente se enquadrar nessa ou naquela forma pré-determinada.

Mas você pode e deve se assumir como você verdadeiramente é, até porque, aliás, é muito mais gostoso sentir as dores e as delícias de ser quem a gente é de verdade, do que só as dores de tentar entrar a força numa roupa que não é sua e que você provavelmente nem cabe nela.

5) Aceite sua escuridão

Somos luz e escuridão sim, todos nós! Todo mundo tem um lado não muito legal que costuma esconder e guardar no esconderijo mais profundo das nossas entranhas.

Sendo que nossa escuridão faz parte da gente, não dá pra fingir o contrário, e a gente precisa trabalhar ela para transformá-la, na medida do possível, em luz.

Mas como posso trabalhar minha escuridão?

Você pode começar anotando cinco coisas que você não gosta sobre você. Por exemplo, irritado, ciumento, pessimista, etc. Em seguida, escreva o lado bom sobre esses aspectos. Isso te levará a algumas grandes reflexões, algumas não tão legais, mas que te ajudará a se entender e a se livrar do seu próprio controle, pois o que estava escondido foi finalmente revelado.

O que acontece é que a maioria das pessoas viveram suas vidas com base no que os outros pensam ou pensaram delas ou até mesmo com base na projeção que foi criada sobre elas.
Só que quanto mais você tenta esconder sua escuridão, mais você se sente uma fraude pois você está fingindo ser algo que não é e negando quem você é.

E ser uma pessoa melhor, e livre, exige que você entre em si mesmo e retire o lixo, para que você possa chegar a pedra preciosa. Não é para os fracos ou aqueles que estão procurando uma solução rápida.

Aceitando, acolhendo e transmutando sua escuridão, você alimenta sua luz, que tá aí dentro, prontinha pra brilhar!

*Texto por Juliana Dube. Ela é coach e terapeuta. Se você gostou desse artigo e tem interesse em receber mais conteúdo como este, tenho uma lista de transmissão onde envio semanalmente reflexões, dicas, textos, livros, dicas de filmes e documentários sobre temas que ajudam a gente a buscar o nosso melhor.