8 filmes sobre relacionamentos que você precisa assistir

Não é uma lista de filmes românticos.

Está mais para “filmes dramáticos sobre relacionamentos” até porque a forma como o cinema retrata as relações humanas, quando decide ir além do feijão com arroz dos príncipes encantados, é quase sempre apelando um pouco mais para a tristeza, que para o romantismo.

Apesar disso, a lista contém uma comédia, que acho que trata do tema relacionamento/relações humanas de uma forma muito bacana, além de ser divertida.

Óbvio que essa enumeração não encerra o tema e que outros, muito bons, ficaram de fora. E se você sentiu muita falta de algum, comenta abaixo sugerindo 🙂

Alfie (2004)

gXDOdcEPi2FxCOTA1hwZTmF0Hv7

Sem ser moralista, mas sendo muito engraçado, Alfie (2004) fala do vazio do Don Juan. Daquele (ou daqueles) que pulam de relação em relação só pelo calor da conquista, sem conseguir estabelecer um laço mais profundo. É bem legal como o conquistador do filme, o ator Jude Law, passa de mulher em mulher até perceber o vazio em que ele mesmo se afogou. A obra é um remake de um filme britânico dos anos 60 de Lewis Gilbert.

Closer (2004)

Closer 720p.mkv_snapshot_01.08.31_[2013.06.02_20.22.03]

Um clássico dos anos 2000. O filme mostra uma espécie de quarteto amoroso e faz, na tela, derreter qualquer expectativa que temos sobre o mito do amor romântico eterno. Os personagens são cínicos, imprevisíveis, impulsivos, assim como a maior parte dos nossos sentimentos. Ele surpreende pelas viradas que há no roteiro e por uma perspectiva realista e até um tanto egoísta sobre o que é o amor.

Blue Valentine (2001)

Blue-Valentine-DVD-Review-The-Film-Pilgrim-Williams-and-Gosling

Apesar da parca tradução para português (“Namorados para Sempre”), o filme não tem nada de romântico. Ele é um exemplo de como desgaste de uma relação leva ao fim do amor. Na tela você vê as indas e vindas do casal Cindy (Michelle Williams) e Dean (Ryan Gosling) até eles chegarem em um ponto onde a relação não se sustenta mais, com o lado mais fraco saindo sempre, invariavelmente, de forma mais dolorida. Bonito e dramático.

Trilogia Antes do Amanhecer (1995)/Antes do Por do Sol (2004)/Antes da Meia Noite (2013)

2_pordosol

A trilogia do diretor Richard Linklater passa pelo encantamento do início do amor, a maturidade da relação e o fim (ou pelo menos quase isso). Para chegar a esse ponto, o diretor usou os mesmos atores: Ethan Howke e Julie Delpy, em intervalos de filmes que duram nove anos cada. Vale a pena prestar atenção aos diálogos entre os dois personagens, num dos melhores textos já escritos para o cinema contemporâneo. O último fecha a história do casal com uma DR angustiante.

Abismo Prateado (2011)

Abismo

Baseado na música “Olho nos Olhos” do Chico Buarque  – já até falei sobre este filme aqui no blog – Abismo Prateado também é sobre o fim de uma relação. Mas diferente dos outros, um fim seco, um tanto cruel, algo do tipo “foi comprar cigarro e nunca mais voltou”. Começa quando Violeta (Alessandra Negrini) é surpreendida com uma mensagem de celular do marido (Otto Jr) que fala que aquela viagem que ele acabou de embarcar não é de trabalho: é para sempre. A partir dali, estava tudo terminado. A personagem entra num vórtice auto-destruitivo e melancólico até perceber a fugacidade que faz parte dos nossos sentimentos.

Alabama Monroe (2013)

foto-alabama-monroe-2-383

Um dos filmes que mais bem utilizam a música no cinema. A obra tem um pingo de semelhança com Blue Valentine, mas com uma diferença fundamental, o desgaste da relação ocorre pela perda de um ente querido, não pela passagem do tempo. É bonito como a caracterização do amor é formada: do seu início feliz e romântico, ao final catastrófico, tudo isso em meio a uma trilha sonora fantástica, de tão bem construída que é. Vai te fazer chorar e virar fã da música country norte-americana.

 

Previous ArticleNext Article
Jornalista formado pela UFRN. Fez o Curso Estado de Jornalismo Econômico do Estadão/FGV e o Rumos Jornalismo Cultural do Banco Itaú. News addicted. Apaixonado também por internet, cultura, política, mídias sociais, publicidade e pelo Palmeiras. Odeia azeitona.

Comentários

2 Comments

  1. Incluiria nesta lista o fantástico " Banquete de amor".. com Morgan Freeman….Apesar do título, não se trata de um filme meloso e romântico. Muito pelo contrário.Recomendo! Aliás.. é o meu filme favorito.

  2. Incluiria nesta lista o fantástico " Banquete de amor".. com Morgan Freeman….Apesar do título, não se trata de um filme meloso e romântico. Muito pelo contrário.Recomendo! Aliás.. é o meu filme favorito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *