Entre 33 das maiores cidades brasileiras, Natal foi a 25 no quesito empreendedorismo em 2015. A conclusão é resultado da pesquisa da ONG Endeavor sobre o grau de empreendedorismo das cidades brasileiras. A pesquisa foi feita tomando por base 7 critérios e a cidade tirou nota baixa na maioria deles.

As piores foram em inovação, mercado e ambiente regulatório. Um dos destaques negativos da cidade é o alto tempo para abertura de uma empresa e a regularização de imóveis, além do custo dos impostos. Mereceu destaque negativo também a falta de empresas que registram patentes.

Um dos fatores que pesam para inovação é o número de empresas da indústria criativa. Embora tenha crescido consideravelmente nos últimos anos, a proporção ainda é pequena se comparada as principais cidades empreendedoras do país: São Paulo, Florianópolis, Vitória e Recife.

A pesquisa destaca a necessidade de ampliar o investimento na educação, embora elogie a qualidade das escolas técnicas locais. Ela também coloca como necessidade um melhor investimento em infraestrutura, além de programas para atração e incentivo de empresas exportadoras para aproveitar o potencial do porto da cidade.

Cultura empreendedora

Apesar do resultado geral ser ruim para a cidade, Natal foi a primeira colocada no quesito “cultura empreendedora”. A métrica mede o potencial empreendedor da população e mostra o quanto há demanda para empreendedorismo na cidade.

Segundo a pesquisa, 80,7% dos entrevistados concordam com a afirmação de que empreendedores bem sucedidos são respeitados na cidade. “84,8% disseram que “conhecem ao menos um empreendedor que iniciou seu negócio há menos de dois anos” (a média é 77,5%), o que mostra que a população local é mais receptiva à ideia de empreender”.

Você pode ter acesso à pesquisa completa aqui.