Um dos sujeitos mais polêmicos do ciência brasileira, mas também um dos responsáveis a nos fazer discuti-la com fervor, Miguel Nicolelis, apresentou a sua pesquisa de comunicação em interface cérebro-cérebro e cérebro-máquina no último evento do Ted Talks, disponível na internet.

Para entender um pouquinho mais, essa é a pesquisa do Nicolelis que fez um paraplégico dar o primeiro toque na bola durante a Copa do Mundo do ano passado.

Segundo o cientista, é possível programar uma máquina para realizar determinada função sem precisar tocá-la, apenas com impulsos cerebrais. E é possível também que a máquina envie para o cérebro um feedback com a sensação do toque.

As possibilidades que se podem tirar daí são imensas não só para a recuperação de lesões na medula, como também para o futuro da engenharia, por exemplo. Mas a pesquisa não para aí, ela também envolve a capacidade de os cérebros enviarem mensagem entre eles, algo semelhante a telepatia.

Na palestra disponível no Ted Talks ele mostra alguns dos experimentos realizados com ratos e macacos, transmitindo informações cerebrais.

A potencialidade da pesquisa, como ele destaca, é imensa e favorece a uma série de especulações para o futuro que nem o mais talentoso escritor de ficção científica poderia imaginar.

Vale lembrar também que parte da pesquisa está sendo executada aqui em Natal no Instituto do Cérebro.

A palestra foi realizada no Ted Global, que rolou no Rio de Janeiro, em outubro do ano passado. Infelizmente está em inglês, com legendas em inglês, mas se você tiver um pouco do domínio da língua, vale a pena assistir.