A notícia que as passagens de ônibus em Natal vão aumentar para R$ 3,35 pegou muita gente de surpresa ontem.

O transporte é mal avaliado pelo natalense e todo momento que há mudança de preço, há protestos seja online, seja offline. Foi assim, por exemplo, que nasceu a Revolta do Busão

O reajuste vai valer a partir de segunda-feira (24). Ele foi decidido pelo Conselho Municipal de Transporte, órgão com representação da Prefeitura, do Seturn (Sindicato dos empresários de ônibus), dos trabalhadores rodoviários e de representantes da sociedade civil.

O pedido dos empresários era de R$ 3,50, valor que chegou a ser votado, mas foi rejeitado pelos membros do conselho. O valor de R$ 3,30 também chegou a ser apreciado, mas foi igualmente rejeitado

Licitação

Nesse tempo, há ainda o problema da licitação. Ele se arrasta desde 2010, quando a justiça obrigou a Prefeitura do Natal a fazer o certame. Desde então, a licitação se arrastou por 7 anos atá ocorrer a sua primeira tentativa, em janeiro deste ano.

Gravamos até um podcast sobre o tema. 

A licitação em janeiro, posteriormente em abril, falharam porque nenhuma empresa ter se mostrado interessada. O Município, então, cedeu à pressão que há do Seturn desde o início de 2017 e concedeu o aumento.

Segundo a Prefeitura, como contrapartida, os empresários prometeram implantar 100 novos abrigos de ônibus e disponibilizar informações do GPS e da bilhetagem eletrônica online.

A promessa, porém, não tem prazo para ser cumprida.

Como melhorar o transporte público de Natal

No meio de todo esse contexto e da indignação de mais um aumento do valor do transporte, sem as melhorias adequadas, decidimos fazer uma lista do que precisa ser feito para melhorar o transporte público da cidade.

Mas a ideia foi fazer diferente.

Desta vez, pedimos aos nossos leitores no Instagram sugestões. Tivemos 54 delas e hoje fazemos uma lista condensando as principais. Abaixo, também destacamos alguns bons comentários que recebemos.

1 – Segurança

O problema número 1, mais repetido entre quem dispôs a sugerir. Afinal, a insegurança afeta toda a cidade de uma forma que parece crescente. Com relação ao transporte público, não é diferente.

O natalense viu uma série de arrastões, assaltos, queima de ônibus e crimes ocorrerem no transporte nos últimos anos.

Uma solução sugerida para melhorar é que os ônibus tenham uma espécie de botão de pânico para ações assim, além, é claro, de mais policiamento tanto no transporte quanto nas paradas.

2 – Renovação da frota

Outra reclamação comum dos leitores é quanto ao tempo de uso da frota. A maior parte da frota é antiga e isso gera desconforto na maior parte dos passageiros.

O problema derivado disso é a quantidade de ônibus que quebram no meio do trajeto e de quanto isso influencia negativamente na experiência de viagem.

Ou seja, é necessário renovar a frota da cidade. De forma urgente.

3 – Aumento da frota

Ainda sobre a frota, outro problema comum é o número de ônibus circulando na cidade. Para a maior parte das pessoas ela é insuficiente para suprir a demanda.

O que isso gera?

Veículos lotados e demora para passar determinadas linhas. Para resolver é necessário que se haja um novo estudo sobre fluxo de passageiros na cidade e se adeque o tamanho da frota a quantidade de pessoas que necessitam de transporte.

4 – Melhoria das linhas

Além da frota, outro problema muito citado é o das linhas. Existem áreas da cidade que não são cobertas de forma adequada.

Parece que o mapa de linhas de ônibus em Natal parou em algum lugar dos anos 90 e não acompanhou o crescimento da cidade.

A Zona Norte, por exemplo, sofre com a demora – linhas tem frotas pequenas – e com o fato de que é necessário ampliar o número de linhas que ligam a maior região da cidade ao restante de Natal.

É preciso estudar o fluxo dos passageiros e distribuir melhor as linhas da cidade.

5 – Transparência na informação sobre horários

Outro problema citado é a falta de pontualidade. Esse, na verdade, acaba sendo uma consequência das questões anteriores, já que por ter ônibus velhos, mais sujeitos a quebrar, frota pequena e má distribuição de linhas, fica difícil cumprir horários.

A melhor forma para resolver isso está em ser mais transparente em relação aos horários dos ônibus. Isso não é algo particularmente difícil de fazer, basta que o Seturn disponibilize as informações de horário e trajeto dos ônibus na internet e em aplicativos para celular.

O aplicativo CittaMobi faz um excelente trabalho nesse sentido, apesar de sofrerem com a dificuldade de receber dados dos empresários.

Também é fundamental que essas informações sejam disponibilizadas nas paradas de ônibus para que todo mundo possa ter uma noção das linhas e horários dos transportes.

6 – Melhores paradas de ônibus

Outra reclamação bem comum é sobre as paradas de ônibus. A maior parte delas continua em estado ruim e, como dito, não protegem nem do sol e nem da chuva.

Alguns pontos, inclusive, há apenas uma placa para sinalizar que é uma parada de ônibus.

Paradas melhores, mais seguras são essencias para melhorar a experiência em utilizar o transporte público da cidade. Embora a contrapartida do Seturn seja de construir 100 novas paradas (sem prazo), a quantidade ainda é pequena diante da demanda de paradas que precisam ser reformadas é grande.

7 – Integração com a região metropolitana

A integração com a região metropolitana é fundamental. Pessoas que moram em Nova Parnamirim, Ceará Mirim, Parnamirim e outras cidades próximas a Natal pagam duas passagens e tarifas abusivas para o transporte.

Como há alguns anos, há uma conurbação urbana entre todas essas cidades, nada mais justo de que todas tivessem um transporte integrado com tarifa única. Isso iria melhorar o fluxo de pessoas que transitam pela região metropolitana, provavelmente diminuir o número de veículos na estrada e deixar o trânsito melhor e mais seguros.

Melhores comentários

Outras sugestões também interessantes e que circularam no nosso Instagram foram: ar-condicionado e wi-fi nos ônibus, limitação do número de passageiros por veículo, mudar a forma como as passagens são cobradas utilizando a distância como métrica.

Abaixo selecionamos alguns dos melhores comentários que recebemos na publicação. Você tem alguma opinião legal sobre o tema? Comenta aqui no blog ou nas nossas redes sociais que queremos ler você.